Abortando a infância

05/19/2009 at 20:19 6 comentários

Aborto- O aborto é a morte de uma criança no ventre de sua mãe .

Não, esse não é mais um post pra falar sobre como o governo deveria parar de fazer de conta que não vê que milhares de mulheres morrem por aí fazendo abortos ilegais, em clínicas horrendas e com profissionais sem preparo, embora esse seja um bom assunto. Uso o aborto em sentido figurado. Hoje, uso o aborto para expressar minha sincera indignação com o que chamamos hoje de infância.

Falar “No meu tempo era diferente” parece coisa de gente velha, careta. Mas, não é exagero eu, aos 14 anos, dizer que a minha concepção de infância é bem diferente do que vivem hoje as crianças de sete, oito anos de idade. Há sete anos atrás – quando eu tinha sete anos – eu passava a manhã inteira vendo desenho na televisão, tomava banho, me trocava, almoçava, e ia pra escola na van escolar. Lá, a gente brincava, se divertia, e conversava. Pegávamos lápis e papel e ficávamos jogando “Stop!” até chegarmos na escola. Depois de voltar da escola, minhas amiguinhas iam na minha casa, e brincávamos de Barbie e de Polly. Brincávamos de cozinha, de “mamãe e filhinha”. De pega pega, de pique esconde. Coisas simples e que me faziam uma criança feliz. Eu só fui descobrir da onde vinham os bebês quando minha mãe me contou. E, acreditei na fada dos dentes até flagrar minha mãe colocando os chocolates debaixo do meu travesseiro. Até os nove anos, coelhinho da páscoa, pra mim, era uma realidade. Eu tinha medo da Loira do Banheiro, da Maria Sangrenta, e achava uma aventura olhar o povo mais velho do colégio jogando jogo do copo. Só comecei á crescer na quinta série. E, me sinto feliz por isso.

Os pais acham uma graça o filho xingar o coleguinha quando tem três, quatro anos. Hoje em dia, que criança cai na velha história da sementinha de melancia que é plantada na barriga da mamãe? Aos seis anos, todo mundo sabe muito bem como funciona o sistema reprodutor humano.
E, o pior: Sabem melhor do que a maioria de nós.
Toda criança sabe que o Papai Noel é o talão de cheques do papai, e o coelhinho de páscoa o cartão de crédito da mamãe. E, aliás, dente que cai vai pro lixo.
E, quer saber? Que raio de criança ainda chama os pais de “Papai e Mamãe”? E, que raio de criança de oito anos não teve namoradinho (a) ainda? E, aliás, aos dez anos, a galera já tá “passando o rodo” no colégio!
E, que mal tem eu oferecer uma taça de champanhe pro meu filho no ano novo? Afinal, quem se importa se ele tem nove anos, não é mesmo?

Tá, tá. Eu também acho super errado iludir as crianças com o Homem do Saco, o Bicho Papão, o Monstro do Armário e afins. Mas, tudo isso faz parte das fantasias infantis. Faz parte da infância. Se um dia, uma filha minha de cinco, seis anos, aparecer com a cara toda maquiada, salto alto e saia curta, eu juro que cabeças vão rolar. Criança tem que brincar. Criança tem que ter seus sonhos. E daí se teu filho disse que vai ser pintor? Você não tem que falar pra ele que ele vai morrer de fome. Ele é uma criança, caramba. Vai mudar a resposta da pergunta “O que você vai ser quando crescer?” pelo menos uma vez por mês. Tentar “amadurecer” uma criança só a torna precoce, e só tira dela a melhor coisa que ela tem: A infância.

Aí, estamos assim: Criança de dez anos usando droga, menina de onze anos mãe, menino de doze anos trabalhando pro tráfico. E é assim que o Brasil anda!

Sabe quando você faz uma coisa muito, MUITO boba, e seus amigos dizem que você não teve infância?
Levante as mãos pro céu e agradeça porque sim, você teve. E, foi uma das últimas antes do processo de extinção da melhor época da vida.

Anúncios

Entry filed under: Desabafo, Indignação.

Twitter Alternativo Enquanto isso, na internet…

6 Comentários Add your own

  • 1. *Lusinha*  |  05/21/2009 às 17:01

    Eu acho que a infância de hoje é muito diferente da que tive.
    O acesso a informação é muito mais fácil ainda hoje.
    Não acho errado as crianças fantasiarem Papai Noel, Coelhinho da Páscoa e etc. Acho que até faz parte do crescimento da pessoa – ajudando a imaginação a se exercitar.
    Bjitos!

    Responder
  • 2. Pedruh  |  05/22/2009 às 23:45

    Nossa, adorei o texto.
    Realmente eu acho q as crianças de hoje em dia não assiste a um desenho animado que preste, só tem Picapau –”
    Alem do maldito computador… e toda criança quer ter um orkut.
    Minha irmã (7 anos) me pediu um iPod rosa, sendo q ela deveria era pedir uma boneca, ou qlqr porcariazinha relacionada a boneca, mas não. Quer um mini player! kkk
    Acho q devemos realmente agradecer ao Papai Noel, Coelhino da Páscoa e a Fada do Dente, em que eu tb acreditei durante anos… kkkk

    Bjoooes!! ^^

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Meninë

Victoria, Vicky. Há cerca de 14 anos habita esse hospício chamado Terra. Curitibana, quer fazer direito internacional e se mandar do Brasil. Sonha em escrever um best-seller. Evangélica. Tímida, medrosa, infantil, metida á jornalista. Vai morrer com os ossos destruídos pela excessiva quantidade de uma substância corrosiva que atende pelo nome de Coca-cola.

Twittando

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

Teenagers

Teenagers, "Adolescentes", inspirado na música do MCR. Desde 14/11/08. Hostee do Censura-Livre.com. Blog pessoal e sem fins lucrativos.

Blog Stats

  • 1,431 hits

Últimos posts

Ending

Acabou a coluna, crianças. Que tal ler o post e comentar? :x

%d blogueiros gostam disto: